Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quarta-feira, agosto 10

Dólar sobe pelo 5º dia e fecha a R$ 1,618, maior cotação desde 25 de maio

Dólar sobe pelo 5º dia e fecha a R$ 1,618, maior cotação desde 25 de maio

10 de agosto de 2011 • 17h11 Por: Equipe InfoMoney

SÃO PAULO - O dólar comercial fechou na sua quinta alta seguida, a R$ 1,618, valorização de 0,48%, sua maior cotação desde 25 de maio, quando fechou a R$ 1,624, refletindo os temores do mercado acerca de um possível rebaixamento francês. Já o dólar Ptax, que referencia os contratos futuros na BM&F Bovespa, fechou cotado a R$ 1,6183 na venda,baixa de 0,92% frente ao último fechamento.

No front doméstico, o Banco Central divulgou que comprou US$ 2,174 bilhões em seus leilões de compras de dólares até a primeira sexta-feira (5) de agosto, ademais a autoridade comprou dólares nessa sessão em uma operação ocorrida das 16h18 (horário de Brasília) às 16h23, com taxa de corte de R$ 1,6165. Além disso, a autoridade monetária divulgou o fluxo cambial da primeira semana de agosto registrando saldo positivo de US$ 3,579 bilhões.

Europa preocupa
O principal risco diário esteve associado à um possível rebaixamento do rating francês, fato que pressionou os mercados de maior risco. Contudo, a reafirmação do rating AAA do país europeu pelas três principais agências de classificação de risco - Moody's, S&P e Fitch Ratings - trouxe alívio aos mercados, arrefecendo o movimento de alta do dólar, que chegou a subir 0,85% no intraday.

O BCE (Banco Central Europeu) voltou a intervir, comprando de títulos públicos de Itália e Espanha no mercado secundário. O objetivo é forçar a queda de seus respectivos yields. Nesta manhã, o governo italiano realizou um leilão de títulos com vencimento em doze meses, no qual conseguiu se financiar em € 6,5 bilhões a uma taxa de juro inferior ao da última emissão, datada de 12 de julho.

Também lá fora, a agenda dos EUA mostrou que o orçamento do governo registrou déficit de US$ 129,4 bilhões em julho, colaborando para que a dívida do país continue a apresentar alta. Também foi divulgado no país o nível dos estoques no atacado norte-americano, registrando avanço 0,6% no mês de junho, 0,4 ponto percentual pior do que esperado pelos analistas.

Dólar comercial e futuro
O dólar comercial fechou cotado a R$ 1,6160 na compra e R$ 1,6180 na venda, alta de 0,48% em relação ao fechamento anterior. Com esta alta, o dólar acumula valorização de 4,25% em agosto, frente à baixa de 0,64% registrada no mês passado. No ano a desvalorização acumulada da moeda norte-americana já chega a 2,89%.

Na BM&F, o contrato futuro com vencimento em setembro segue o dia cotado a R$ 1,635, forte alta de 1,93% em relação ao fechamento de R$ 1,604 da última terça-feira. O contrato com vencimento em outubro, por sua vez, opera em forte alta de 1,71%, atingindo R$ 1,640 frente à R$ 1,613 do fechamento de terça-feira.

O dólar pronto, que é a referência para a moeda norte-americana na BM&F Bovespa, registrava R$ 1,6101000.

FRA de cupom cambial
Por fim, o FRA de cupom cambial, Forward Rate Agreement, referência para o juro em dólar no Brasil, fechou a 2,70 para outubro de 2011, 0,07 ponto percentual abaixo do que foi registrado na sessão anterior.

Marcadores:

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.