Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quarta-feira, julho 13

Em ajuste, Ibovespa sobe 1,62% e interrompe sequência de seis quedas

Em ajuste, Ibovespa sobe 1,62% e interrompe sequência de seis quedas

13 de julho de 2011 • 17h49 Por: Equipe InfoMoney

SÃO PAULO - O Ibovespa interrompeu uma seqência de seis quedas consecutivas e fechou o pregão desta quarta-feira (13) em alta de 1,62%, aos 60.669 pontos. O benchmark acompanhou o otimismo das bolsas internacionais por conta do alívio do mercado acerca da crise fiscal italiana, de dados da economia chinesa, além da possibilidade de novos estímulos à economia norte-americana. O giro financeiro foi de R$ 6,749 bilhões.

A queda na percepção de risco sobre a possibilidade de contágio de economias centrais da Zona do Euro foi bem recebida pelo mercado, uma vez que o governo da Itália chegou a um consenso sobre um novo plano de austeridade no valor de € 47 bilhões. A notícia ofuscou em partes o fato de a agência de classificação de risco Fitch ter reduzido o rating para títulos de longo prazo da Grécia em três níveis, após a Moody’s ter rebaixado o rating irlandês na véspera.

Nos EUA, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, reportou que o banco central norte-americano já lista três possíveis programas de estímulo econômico, caso a fragilidade da recuperação da economia do país se mostre mais duradoura do que o esperado. Enquanto isso, no continente asiático, o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) chinês acima das expectativas animou os mercados.

Destaques do pregão
Na ponta positiva do índice, destaque para as ações da Brasil Foods (BRFS3, +9,77%, R$ 28,55). Aguardando o desfecho do acordo entre a companhia e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) sobre a fusão entre a Sadia e a Perdigão, a BM&F Bovespa chegou a suspender as negociações do ativo nesta manhã, que só voltou a ser negociado às 15h15 (horário de Brasília). O órgão antitruste aprovou a fusão entre as duas companhias com algumas restrições.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
BRFS3 BRF FOODS ON28,55+9,77+5,76325,29M
JBSS3 JBS ON5,35+7,00-25,3820,85M
CYRE3 CYRELA REALT ON14,66+6,23-31,51178,65M
RSID3 ROSSI RESID ON12,14+5,47-16,1438,49M
LLXL3 LLX LOG ON4,67+4,71-1,277,08M

Em sessão na qual apenas seis papéis do Índice Bovespa encerraram as operações no campo negativo, destaque para Natura (NATU3, -1,35%, R$ 37,30) e GOL (GOLL4, -1,10%, R$ 17,95), únicas ações a registrarem desvalorização acima de 1% dentro do Ibovespa, em relação ao fechamento anterior.

No caso da companhia aérea, o movimento dos papéis reflete o anúncio de que a Moody's revisou para negativa a sua perspectiva para o rating da empresa, citando entre diversos fatores a aquisição da WebJet, confirmada na semana passada.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
NATU3 NATURA ON37,30-1,35-19,9035,20M
GOLL4 GOL PN N217,95-1,10-27,8531,19M
TRPL4 TRAN PAULIST PN EDJ46,51-0,77-8,2810,26M
FIBR3 FIBRIA ON18,80-0,53-28,1616,39M
DTEX3 DURATEX ON11,85-0,42-20,0510,63M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

CódigoAtivoCot R$Var %Vol1Vol 30d1Neg
VALE5 VALE PNA46,38+1,44738,79M551,81M19.615
ITUB4 ITAUUNIBANCO PN32,76+0,65395,00M213,26M20.298
PETR4 PETROBRAS PN23,39+1,17357,34M351,64M15.303
BBDC4 BRADESCO PN ED29,94+2,53349,02M139,43M24.209
BRFS3 BRF FOODS ON28,55+9,77325,29M61,20M5.944
OGXP3 OGX PETROLEO ON14,12+0,21249,53M224,41M12.347
BBAS3 BRASIL ON26,45+2,32187,81M116,31M11.258
CYRE3 CYRELA REALT ON14,66+6,23178,65M65,15M9.923
BVMF3 BMFBOVESPA ON10,00+2,15167,97M122,74M10.443
VALE3 VALE ON51,33+1,24149,93M159,37M5.196

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Agenda
No Brasil, o Banco Central divulgou o IBC-Br (Índice Mensal de Atividade do BC), que apresentou o queda na atividade econômica, com recuo de 0,68% na passagem de abril para maio, marcando 146,06 pontos.

Também por aqui, o fluxo cambial acumulado de julho até a última sexta-feira registrou saldo positivo de US$ 1,521 bilhão. Os dados foram publicados pelo Banco Central.

Já nos EUA, foram divulgados os números de importação e exportação do país, vistos pelo mercado como dados complementares à divulgação da balança comercial na véspera. Enquanto isso, o Departamento do Tesouro divulgou que o orçamento do governo norte-americano registrou déficit de US$ 43,1 bilhões em junho, vindo melhor do que o esperado.

Ainda no front internacional, o governo chinês divulgou um crescimento de 9,5% da economia do país, por conta de maiores investimentos e um grande consumo interno. As expectativas eram de um avanço de 9,4%.

Dólar
O dólar comercial registrou queda de 0,44%, cotado R$ 1,574. Enquanto isso, o dólar Ptax, que referencia os contratos futuros na BM&F Bovespa, fechou cotado a R$ 1,5754 na compra e a R$ 1,5762 na venda, baixa de 0,07% em relação ao fechamento anterior.

O Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado cambial à vista. A operação ocorreu entre às 15h37 (horário de Brasília) e às 15h42 e teve uma taxa de corte aceita em R$ 1,5745. O BC também vendeu 11.450 contratos de leilão de swap cambial reverso, 38% dos 34 mil ofertados, movimentando US$ 563,3 milhões. Com isso, o governo já realizou 21 leilões em 2011.

Bookmark and Share

0 Comments:

Postar um comentário

<< Home

Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.