Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

quarta-feira, dezembro 2

Capital Externo Bovespa - Dados atualizados até 27.11.09

Marcadores:

Bookmark and Share

Banif: Alocação Mensal - Dezembro 2009

Aonde vai o boi vai à boiada

O ano chega ao seu último mês. E depois de um inicio duvidoso, no meio do furacão da crise, vai terminar de forma muito positiva com mais de 70% de valorização. Dezembro, por tanto, não será um mês de riscos. Será um mês onde os investidores tentarão garantir os ganhos até agora já realizados.

O final de novembro trouxe novo susto. Porém, este só serviu para que investidores tomassem fôlego. As dividas de Dubai não parecem preocupar. O principal credor é o Reino Unido, sendo que a exposição de outras regiões, entre elas os Estados Unidos, é de menos de 15%.

Dados Econômicos escassos esse mês

Não há muitos dados econômicos a serem divulgados este mês, tanto nos Estados Unidos como no Brasil. Por aqui, investidores estarão atentos aos dados do crescimento do PIB no 3T09, onde se espera ver forte recuperação, a ser divulgado no próximo dia 10 e ata do Copom no dia 17. Já nos Estados Unidos, investidores esperam a divulgação das vendas durante a “Black Friday” (sexta-feira negra) que deve indicar como serão as vendas do natal. Além disso, teremos mais uma reunião do FOMC no dia 16 e dados de crescimento do PIB durante o 3T09 no dia 22.

O crescimento da economia americana esta ainda muito dependente dos recursos injetados pelo governo federal. A inflação não é o problema, e não o deve ser nos próximos meses. Com isso, o FED deverá manter os juros inalterados pelo menos durante os próximos seis meses.

As coisas parecem melhorar. O setor imobiliário, apesar de ainda bastante fraco, da vários sinais de estar se fortalecendo. É verdade que o pânico proveniente de Dubai é causado por este mesmo setor. Por outro, por ser uma crise concentrada, garante com que não deverá se espalhar para outras regiões do globo.

O pré-sal cada vez mais próximo de se tornar realidade

O pré-sal ainda aguarda a aprovação do Projeto de Lei 5941/09. Mas a Petrobras já esta tomando as providencias em preparo a nova lei. Entre as medidas tomadas esta a criação de um comitê de minoritários para acompanhar o desenvolvimento da operação de cessão onerosa (capitalização da Petrobras pelo governo utilizando reservas de petróleo) e a aceitação do uso de títulos da dívida pública federal para a integralização de ações pelos minoritários no aumento de capital.

Performar igual ao Ibovespa garantirá o resultado do ano

Este mês optamos por indicar uma carteira bem equilibrada em relação ao Ibovespa. Isso por que, acreditamos que o resultado do ano já esta dado, e esperamos portanto um mercado de lado neste ultimo mês de 2009. Com isso, objetivamos manter o ganho da carteira em 2009 acima de 70%.

Outperformando o Ibovespa – Carteira Recomenda (“LONG”)

Ação – Catalisadores/Fundamentos

BPNM4 – rumores de possível venda do banco e crédito para pessoa física no natal

BRTO4 – ação mais descontada dentro do grupo OI

BTOW3 – vendas de natal através da internet deve ter forte crescimento

CSNA3 – vendas para o mercado interno que continuam crescendo

ELPL6 - dividendo a ser pago no 1T10 deve render um yield de 8% pelo menos

EQTL3 – ação com pouca liquidez terá menor volatilidade

ITUB4 – continuado crescimento do crédito em todos os segmentos da economia

KLBN4– alta do preço do papel cartão deve levar a um forte resultado no 4T09

MMXM3 – venda de participação minoritária acima do esperado por investidores

PCAR5 – vendas de natal tanto de alimentos como de não alimentos

PETR4 – aumento no volume médio diário

SUZB5 – alta do preço da celulose e do papel cartão

TLPP4 – papel defensivo que deve anunciar dividendos em dezembro

VALE5 – dezembro se inicia a negociação de preços para qual se espera alta de 10%

Sugestão de carteira de “shorts” para Dezembro

NETC4- Venda da GVT para a Vivendi aumenta a competição

Bookmark and Share

terça-feira, dezembro 1

Relatório Mensal - Mineração & Metais: Britado & Fundido - Novembro 2009

Britado & Fundido - Novembro

Destaques

Ø Dados da produção de aço mundial mostram desaceleração do crescimento em setembro: Embora a produção de aço mundial tenha se elevado pelo quinto mês consecutivo, atingindo 107,030 milhões de toneladas, os dados da produção para a maioria dos países caíram comparados com agosto. O crescimento da produção mundial vem se desacelerando de uma média de 3,4% por mês durante o ano para 0,5% em relação ao mês precedente. A China, o maior produtor, atingiu 50,711 milhões de toneladas, reduzindo sua participação na produção global para 47% - um recuo de 3,1% em relação ao mês precedente. O fator determinante para o aumento da produção mundial foi a expansão observada na União Européia: um salto de 25,3% em relação ao mês precedente, chegando aos 13,171 milhões de toneladas. Com exceção da China, a produção teve alta de 4% em relação ao mês precedente totalizando 56,319 milhões de toneladas.

Ø O ambiente de preços começa a mostrar enfraquecimento, depois da reativação de alto-fornos: após o aumento observado no mês passado, (com a elevação da demanda ocasionada pela recomposição de estoques) os preços cederam, apresentando uma diminuição modesta: as bobinas laminadas a quente estão, agora, a cerca de US$631 por tonelada e os vergalhões a US$528 por tonelada, enquanto os preços dos tarugos e das placas passaram a cerca de US$435 e US$439 por tonelada, respectivamente. A exceção da regra continua sendo o Brasil, onde os preços ainda estão em trajetória ascendente, com uma alta de 30% para as bobinas laminadas a quente, desde o mínimo atingido em abril-maio. Elas agora atingiram US$1177,5 por tonelada (US$547 por tonelada mais que a média do preço mundial).

Ø Os mercados de metais e mineração melhoraram: os resultados do 3T09 foram bons e superaram nossas projeções e o consenso do mercado, com um repique nos volumes de vendas, e certa estabilidade nos preços. O melhor desempenho foi a das companhias ligadas à demanda chinesa por matérias-primas, como a Vale e a MMX. O setor de mineração revelou uma acentuada melhora nas margens, em função da intensa utilização dos alto-fornos no Sudeste da Ásia e na Europa, bem como do ritmo extraordinário da demanda das usinas siderúrgicas chinesas por minério de ferro, ampliando a participação de mercado da China na produção mundial de aço para cerca de 50%. O mercado latino-americano de aço começou a se recuperar no 3T09, devido à demanda mais aquecida nos mercado local, fortemente impulsionada por incentivos do governo, e também, por um bom mercado para exportações. No Brasil, a Gerdau registrou uma rápida expansão das margens, com o melhor desempenho no setor, tendo aumentado volumes e conseguido boas reduções nos custos. A CSN teve um desempenho bastante bom devido à elevação gradual da sua produção, com diluição dos custos, e à entrada no mercado de minério de ferro, fatores que combinados proporcionaram à empresa uma vigorosa ampliação das margens.

Ø Quanto ao 4T09: Estimamos lucros melhores para ambos os setores, em virtude de uma continuada recuperação dos volumes, estabilidade dos preços e diluição dos custos em decorrência de uma maior utilização da capacidade. Esse cenário nos permite esperar que as margens retornem a níveis próximos dos observados antes da crise. Assim sendo, mantemos nossa recomendação de Comprar para a Usiminas e para a Ferbasa, que devem se favorecer com o crescimento do PIB do Brasil. E mantemos, também, nossa visão positiva em relação às ações da Vale no longo prazo, devido ao apertado equilíbrio entre oferta e demanda no mercado de minério de ferro, uma vez que estimamos que os produtores de aço da China devam no próximo ano aumentar suas importações visando substituir o minério de ferro local que tem baixa qualidade por minério brasileiro de maior qualidade.

Bookmark and Share
Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.