Últimas 100 Atualizações do Website via Twitter:

Pesquise todo o conteúdo do website Horus Strategy abaixo:
Loading

sábado, outubro 10

Médias móveis: saiba como funcionam e como utilizar este indicador

Médias móveis: saiba como funcionam e como utilizar este indicador

Por: Camila Schoti
28/07/05 - 10h10
InfoMoney

SÃO PAULO - Alguns analistas, conhecidos como analistas técnicos, fazem uso de gráficos e indicadores para se orientarem no mercado financeiro. Através destas ferramentas, é possível identificar tendências e as reversões destas tendências, de forma que o investidor pode operar de acordo com elas, e não contra elas.

Além do conhecido gráfico de barras e os
candlesticks, bastante utilizados para traçar as linhas de tendência ou identificar os pontos de suporte e resistência, os analistas técnicos também utilizam indicadores estatísticos que ajudam na hora da tomada de decisão. Dentre estes indicadores, um dos mais utilizados e mais versáteis são as médias móveis.

Como funcionam as médias móveis?

Como o próprio nome sugere, o indicador tira uma média dos preços de um determinado ativo em um determinado período e aplica esta informação num gráfico. Por exemplo, o uso de médias móveis de 10 dias, implica que será tirada uma média, podendo essa ser simples ou exponencial, dos últimos dez preços (normalmente são usados os preços de fechamento) e para cada dia que passa. o preço do novo dia é adicionado à média e o preço do último dia é subtraído, de forma que o gráfico irá se deslocar desta maneira.

As médias móveis são seguidoras das tendências, ou seja, elas só apontam uma tendência quando esta já existe, de forma que a
velocidade com que a visualização da tendência irá aparecer no gráfico irá depender do tipo de média utilizada. As médias móveis podem tanto mostrar uma tendência e confirmá-la, como sinalizar uma possível reversão através da identificação de fortes movimentos de compra ou venda do mercado.

Utilizando as médias móveis

Apesar disso, as médias móveis também podem apresentar atrasos, e isso irá variar do período utilizado pelo analista para determinar o calculo da média. Entretanto, esses atrasos podem ser eliminados, à medida que o analista utiliza médias mais curtas, por exemplo, média de 5 dias ou 10 dias para gráficos diários.

Contudo, vale ressaltar que, quanto mais curta for a média, mais sensível ela será a mudanças nos preços, e, por isso, evitará menos atrasos do que as médias mais longas, mas com mais freqüência ela poderá indicar uma tendência falha, um pequeno movimento que não se confirmou mas que poderá parecer consistente no gráfico.

Assim, para se obter o melhor resultado na hora de operar utilizando as médias móveis, é preciso identificar aquele período de tempo em que a média é sensível o bastante para mostrar a tendência com mais velocidade, mas insensível o bastante para não deixar passar as tendências falhas.

Isso dependerá do perfil do investidor, de quanto ele está de disposto a se arriscar para perceber uma tendência antecipadamente, correndo o risco dessa não se confirmar. Além disso, é válido destacar que, como as médias mais curtas são mais sensíveis, o investidor provavelmente irá realizar mais operações, o que lhe gerará maiores custos com corretagem.

Escolha e eficácia

O uso das médias móveis pode ser mais eficaz, de acordo com analistas, com a utilização de mais de um tipo de média junto, combinando dois ou três tipos de médias por exemplo. Isso acontece, porque as médias mais longas funcionam melhor quanto mais forte for a tendência, ao passo que, médias mais curtas são mais eficazes na identificação de uma reversão de tendência.

Além de identificar uma tendência ou sua possível reversão, esta combinação também poderá evitar os atrasos e as falhas de tendência passíveis de ocorrer na utilização das médias móveis.

No caso da utilização de uma média apenas, o investidor pode identificar que um movimento grande de compra foi realizado cada vez que um preço de fechamento ficou acima da média móvel. Em sentido oposto, um movimento de venda será observado caso o preço de fechamento fique abaixo da média. Para a confirmação destes movimentos, alguns
analistas preferem esperar a média cruzar o gráfico.

Utilizando duas ou três médias juntas

Na utilização de duas médias juntas, por exemplo de 5 dias e de 20 dias, ou seja, uma média curta e uma longa, um sinal de compra é observado quando a média curta cruza a média longa para cima em uma tendência de queda, configurando um sinal de reversão. O mesmo vale para uma tendência de alta, ou seja, quando a média curta cruza a média longa para baixo e sinaliza a reversão.

Já para a utilização de três médias móveis, por exemplo 5 dias, 10 dias e 20 dias, a confirmação de uma tendência é feita em três etapas: quando a média de 5 dias cruzar a média de 10 dias para cima, no caso de uma tendência de queda, temos então uma sinalização de reversão, quando a média de 5 dias então cruza a média de 20 dias temos a confirmação da tendência e por fim, quando a média de 10 dias cruza a de 20 dias, temos a ratificação deste movimento.

Perfil do investidor e outros indicadores

Mais uma vez, nestes casos o perfil do investidor será fundamental na hora da tomada de decisão, uma vez que um investidor com perfil mais arrojado talvez não queira esperar a ratificação do movimento para comprar ou vender um ativo, já que até o momento da ratificação, o rendimento pode ter diminuído.

Além disso, um fator de fácil visualização e que não requer muita prática na hora de analisar um gráfico com médias móveis é que todo preço tende a se mover em linha com a média, assim, quando por exemplo, o preço está muito acima da média, a tendência é de que ele caia até atingir a média. Da mesma maneira, caso o preço esteja muito abaixo da média, há uma tendência de que ele suba e volte a se encontrar com a sua média. Quanto tempo o investidor irá esperar os preços se distanciarem da média, porém, também irá depender de seu perfil.

Além das médias móveis, existem outros indicadores que, combinados à utilização dos gráficos e das médias móveis, irão prover mais segurança na hora da tomada de decisão, de forma que analistas recomendam esta combinação e afirmam que, à medida que as
tendências são identificadas em mais gráficos, mais segura será a tomada de decisão.

Bookmark and Share
Copyright © 2002 / 2014 HorusStrategy.com.br. Horus Strategy é marca registrada. Todos os direitos reservados.